RSS

Pipoca com Manteiga – Missão Madrinha de Casamento

16 ago

“Lillian (Maya Rudolph) vai se casar e convida a amiga Annie (Kristen Wiig) para ser sua madrinha. Ela, que enfrenta problemas profissionais e amorosos, resolve se dedicar à função de corpo e alma. Só que, logo no primeiro evento organizado, Annie conhece Helen (Rose Byrne), uma bela e rica mulher que quer ser a nova melhor amiga de Lillian. As duas logo passam a disputar a proximidade da amiga, assim como o posto de organizadora do casamento e demais eventos pré-nupciais.”

O filme Missão Madrinha de Casamento teve uma ótima propaganda e jogada de marketing diferente.

Com tantos roteiros, de sucesso, inspirados em despedidas de solteiro e as aventuras dos homens, de repente chega as telonas um filme que conta tudo isso na visão feminina, quais os tropeços e confusões que as mulheres podem se meter quando o assunto é festa, ainda mais quando o negócio é festa de casamento.

Apesar da pegada diferente e tals Missão Madrinha de Casamento é decepcionante.

Quando decidi assistir o filme eu esperava ver o que realmente acontece nessas situações, que por si só já são engraçadas, pelo menos para nós mulheres. Depois de passar a dor e toda a parte chata da preparação e espera é engraçado lembrar o que aconteceu no período que estávamos nos arrumando com as amigas: delineador no olho, blush que deixa parecendo um palhaço, fazer umas combinações, de roupa, ridículas e comparar com a Ana Maria Braga, etc. Lembro que uma das vezes que mais ri foi quando uma de minhas primas resolveu contar a aventura dela e de uma amiga de depilar a perna com cera quente pela primeira vez (sério, eu chorei de rir).

É claro que o filme não é extremamente ruim tem uma ou outra coisa que se salva mas no todo não vale a pena gastar seu tempo assistindo… tem muita coisa que poderia ter sido explorada no longa e não foi. O erro, acredito, foi terem criado várias histórias, de certa forma, paralelas e não terem conseguido desenvolver nenhuma de maneira mais elaborada a ponto de despertar o interesse do público.

Só pra vocês terem uma ideia: Annie é orgulhosa e uma ótima cozinheira que havia aberto uma loja de cupcakes porém a loja faliu e ela nunca mais quis cozinhar. Helen é jovem, linda e casada com um ricaço, seus enteados a odeiam e ela, por carência, tenda desesperadamente ser amiga de Lillian mas para isso acha que precisa “eliminar” Annie. Megan é a irmã meio surtada do noivo que passa o filme todo fazendo aparições muito forçadas e em muito poucos momentos engraçada; e a Lillian é a pessoa que temos menos informações porém ela é o foco de toda a disputa. Ou seja nenhuma dessas histórias teve uma continuação que preste no filme.

Uma parte do longa que detestei (revoltada): elas vão num “Restaurante Brasileiro” e todas passam mal, como se a comida brasileira fosse uma porcaria; meu espírito patriota manifestou-se e imediatamente eu pensei: esse bando de norte-americano babaca que não sabe nem cortar carne e fazem churrasco com hambúrguer tem muuuuita moral mesmo pra falar do rodízio brasileiro.

Patriotismo a parte, o filme, pelo menos para mim, deixou muito a desejar.

Não é uma boa comédia, nem um bom drama, muito menos um romance que se preze… é meio que sem definição, eu acho. Isso porque ele não mistura as doses certas dos elementos que caracterizam as categorias acima fazendo com que falte muita coisa na história.

A ideia até que foi boa, mas não souberam aproveitar as ramificações do tema. Teria sido muito mais engraçado se tivessem usado, para compor o filme, as situações que as mulheres realmente enfrentam em casos como esse; por exemplo, no casamento, velhos olhando pra você e dizendo: Você é a próxima! PQP o desconforto que essa frase causa só é sentida por quem já a ouviu; da vontade de, num velório, chegar no velho e falar a mesma coisa, só pra sacanear; ter que lidar e dizer não para as ideias bregas que aparecem (fingindo que gostou e só nega porque, infelizmente, não vai combinar com o resto da decoração) ter que aguentar os clássicos: será que tá grávida? Ou será que já planejaram o bebê? Quando vem meu afilhado?; comentários sobre o vestido da noiva, como se você fosse muito responsável pela escolha e, óbvio, os eternos discursos dos parentes…. que, diferentemente, dos que aparecem nos filmes não são muito épicos, mas sim uma deixa pra treinar a sua cara de pau, sorrir, acenar e praticar um pouquinho de vergonha alheia.

Convenhamos né gente, casamento deixou de ser um evento solene a algum tempo, hoje, parece-me, ser mais pra encontrar os amigos e dar uma sacaneada, com classe (se não agora, quando virem os vídeos de casamento daqui uns 10 anos), no pinguim e no ursinho polar que ficam lá no altar.

P.s.: não deixem de me convidar para seus casamentos, prometo me comportar!

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em agosto 16, 2012 em Filmes

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

Uma resposta para “Pipoca com Manteiga – Missão Madrinha de Casamento

  1. Guilherme Awesome Dude

    agosto 26, 2012 at 12:57 am

    Ótima Crítica!!

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: