RSS

Arquivo mensal: janeiro 2013

Portugal

Ai, ai a Terrinha! Essa era para ser a parte mais divertida e legal da viagem, a parte em que eu, realmente, estaria por mim mesma e conseguiria ter a minha tão sonhada independência, aquela onde eu converso, faço amigos, estudo, aprendo….

Pois é, isso era o que eu tinha em mente mas não foi bem assim que aconteceu.

Primeira coisa, cheguei no aeroporto do Porto e fui comprar um chip, com internet, para meu celular… Ok, comprei e tudo, mas a internet não funcionava, de jeito nenhum, ainda no aeroporto voltei na loja e reclamei, me disseram que em algumas horas eu teria internet. Ok, resolvi sair e ir pegar o metrô para Coimbra (parênteses aqui – eu me perdi dentro do aeroporto, não conseguia achar a descida para o metrô até que um policial me ajudou) andei cerca de uma hora de metrô para chegar até as estações de comboio (lá eu me perdi de novo, mas um português muito simpático me ajudou), comprei um ticket de trêm rápido até Coimbra, demorou cerca de uma hora, chegando lá eu fui pedir informações, de onde era meu hotel, como eu chegava lá e tal e foi aí que começaram os problemas….

Nunca vi um atendente com tanta má vontade, ele não quis me explicar nem a saída da estação de comboios, dizia que não me entendia, que a rua era longe e tudo o mais; larguei mão, perguntei para umas outras pessoas e saí da estação peguei um taxi com uma senhora que foi muito simpática comigo, percebeu que eu não estava muito bem e me deu vários conselhos. Ainda assim cheguei no hotel e chorei, chorei e chorei mais um pouco depois de um tempo sentada no chão, encostada na parede resolvi tomar vergonha na cara, lavei o rosto, peguei meus documentos e fui para a Universidade. Lá foi tranquilo, documentos corretos, só algumas burocracias que tive que resolver e ainda tenho, falta muita coisa, mas que só se resolve com o tempo; sai da Universidade e já fui procurar um apartamento, um lugar para morar e tudo o mais.

Entrei em vários lugares bons mas que cheiravam a cigarro (em Portugal não tem leis proibindo fumar dentro dos locais) então não dava né, sou estudante e tudo mas ainda tenho minhas preferências. A parte de achar apartamento foi a mais stressante, tinha uns que diziam que, por eu ser brasileira, não tinham apartamento ou que era só por um período X de tempo e várias outras desculpas, perdi a conta de quantos senhorios marcavam horário para me mostrar o apartamento ou quarto e não apareciam…. foi muito complicado e comecei a me desesperar; minhas diárias no hotel estavam acabando e eu não tinha mais onde ficar.

Aqui eu preciso contar para vocês algo muito aleatório que aconteceu. Eu estava muito desesperada, então eu, andando na rua, ouvi uns sotaques brasileiros, tomei coragem e perguntei se as meninas eram brasileiras, falaram que sim, e aí começamos a conversar, eu passei o dia todo com elas, me levaram almoçar, explicaram as ruas, tudo…. nesse dia eu contei minha história e elas falaram que, se necessário, eu poderia ficar na casa delas por uns dias, até me achar (quando acabaram minhas diárias no hotel eu fiquei com elas) eu me senti muito acolhida, sério, elas foram muito legais comigo, me hospedaram e me ajudaram em tudo que precisei.

O apartamento em si consegui pela internet, num grupo de brasileiros em Coimbra, um cara entrou em contato comigo e me falou do apê, acabei alugando lá mesmo, não é caro e tem uma ótima localização.

Depois de resolver quase tudo eu acabei, por ‘n’ motivos voltando aqui para a Alemanha, na verdade estava tudo meio complicado lá em Coimbra e acabei voltando para cá e só volto para Portugal quando minhas aulas começam que é quando conseguirei começar a resolver as coisas – acho que fiz uma boa escolha.

Eu não quero que ninguém se desanime a fazer intercambio mas é bom saber que vai enfrentar vários problemas, as coisas ainda são muito desorganizadas e ninguém vai resolver as coisas por você, portanto é necessário ter muita disposição para resolver os inúmeros problemas que surgem e, cara, você vai precisar de muito apoio, sério, mantenha-se longe de quem fica ‘aah mas eu te falei’ ‘Viu só…. o que eu eu disse?’. Esse tipo de pessoa é completamente dispensável.

Enfim, não são todas as aventuras que já vivi mas é um resumão das melhores; vou me esforçar para publicar mais aqui no Blog e manter vocês mais por dentro dos acontecimentos.

Torçam por mim, pessoas, é muito importante e gratificante contar com o apoio de vocês.

Leia as partes anteriores desse post aqui e aqui.

 

Alemanha

 

‘Os alemães são, realmente, um povo muito acolhedor’ Sheldon Cooper

Apesar de todo mundo falar que os alemães são estranhos, meio frios e tal eu me obrigo a concordar com o Sheldon. Até agora eu fui muito bem tratada aqui na Alemanha, salvo uma ou outra ocasião, mas isso tem em qualquer lugar. Em todos os estabelecimentos, seja aeroportos, restaurantes, bares, padarias e mercados eu senti que as pessoas aqui fazem um esforço para te ajudar. Em algumas lojas que cheguei eu tinha que fazer perguntas e, bom, algumas vezes eu estava sozinha. Meu alemão é uma porcaria, eu jamais entenderia o que eles iriam falar, a solução foi chegar na vendedora e falar, em alemão – Me desculpe, eu não falo alemão, você fala inglês? – nunca falhou, sempre fui bem atendida e se a pessoa com quem eu tinha conversado primeiro não falava inglês eles tinham o cuidado de encontrar algum colega que falasse, pelo menos um pouco, para me ajudar.

Quando cheguei aqui, estava tudo prontinho, a minha espera, casa, buscar na estação, tudo certinho, então foi tudo muito lindo, não esquentei a cabeça com nada.

Logo que cheguei fomos dar uma volta em um dos pontos turísticos aqui de Karlsruhe, eu gostei, estava cansada e tudo mas achei muito bom, depois disso viemos para casa para eu poder descansar um pouco, a noite nós saímos e fomos numa cervejaria muito legal que tem aqui e, por incrível que possa parecer, eu não tomei cerveja nenhuma. O Lucas pediu, para mim, um Apfelsaft; aí me chega uma caneca de cerca de um litro de suco de maçã e, cara, o suco de maçã daqui é muito bom; eu nem lembrei da cerveja porque aquele suco estava incrível. Talvez por ter sido o primeiro que eu tomei né, mas ainda assim ele estava destruidor demais para eu abandoná-lo e pegar uma cerveja.

No dia seguinte a minha chegada eu fui viajar para Heidelberg essa viagem também foi muito interessante, nós andamos a cidade toda, tirando fotos, visitamos o castelo etc, foi legal, e nessa viagem eu conheci duas pessoas com quem estou convivendo bastante aqui.

Passamos o ano novo em Berlin e foi sensacional, acho que já falei de Berlin, ficamos na casa de uma família que nos tratou muito bem e que foi muito legal, em todos os aspectos, conosco. O único ponto chato de Berlin foi eu ter esquecido a câmera fotográfica em Karlsruhe.

Mas o que importa mesmo, para mim, não estão sendo as viagens nem nada, elas são muito legais e acrescentam muito no entanto até agora achei que a parte mais legal da viagem é estar se virando. Arrumar o quarto, fazer a própria comida, definir horários, essa parte de ‘morar sozinha’ esta sendo a parte que mais gosto, se der merda a única culpada sou eu e acho isso muito bom.

Sempre tive essa vontade de ser independente, parar de depender dos meus pais para tudo, claro que você cresce e percebe que ainda vai depender deles por muito tempo, financeiramente, maaaas conseguir ir se virando por aqui já esta sendo uma espécie de vitória. Sou grata aos meus pais pela ajuda que eles tem me dado em toda essa aventura mas é muito bom começar a aprender a caminhar com as próprias pernas. Esses dias fizemos um risoto ao molho gorgonzola que ficou assustador de tão bom, para dois iniciantes, que somos eu e Lucas. Fizemos, também,  lasanha, torta salgada, torta de limão, bolo de chocolate entre outras aventuras culinárias que estamos enfrentando. Quarta feira faremos um jantar brasileiro, com feijoada, para a galera daqui, esperamos que tudo corra bem e que gostem da nossa comida.

Apesar de muita gente reclamar de ter de fazer essas coisas, de não ter mais a mãe por perto e tudo, na boa, eu não me pego reclamando, estou achando isso muito bom e tenho certeza que só trará benefícios para mim. Acho que acabamos dando mais valor as coisas e controlar melhor, tanto nossos gastos quanto tempo e por aí vai.

Se bem que eu estou falando da estadia na Alemanha, que foi tudo perfeito, tinha casa, comida, namorado, amigos…. tudo para não ficar, nem se sentir sozinha, e perdida, os problemas começaram a aparecer na ida para Portugal…

Leia a segunda parte aqui e, se precisar, o início você encontra aqui e aqui.

 

What’s up?

Olá homelesses!

Agora sim faz, realmente, muito tempo que não nos encontramos por aqui, para tentar me redimir dessa falta de notícias vou contar para vocês como esta sendo a estadia nos mínimos detalhes, para isso vou dividir essa seção em dois posts, a parte Alemanha e a parte Portugal.

Já narrei minha chegada, tanto a entrada na Europa por Lisboa, quanto a chegada aqui na Alemanha como foi tudo e tal, agora, eu vou contar para vocês o que eu fiquei fazendo nesse tempo que estive na Alemanha como foi ir para Portugal, para morar, a primeira vez e como, aos poucos a ficha de que eu não sou turista aqui no velho continente vem caindo.

Já vou falar de antemão que não quero desencorajar ninguém a fazer intercambio e tals mas que fique claro que não é tudo tão lindo como fazemos parecer ao retornarmos ao nosso país de origem, pelo contrário, dá muita merda o processo inteiro, informações que se desencontram, o sentimento de impotência, você se sente e, realmente, fica muito sozinho, várias coisas que, acredito, vocês irão notar ao longo dos meus textos mesmo sem eu precisar falar diretamente.

Vamos começar então contando a estadia na Alemanha!

Leia os outros textos aqui e aqui.

 

Cheguei!

Olá homelesses!

Quanta saudade eu senti de vocês, mas acho que vocês conseguem entender o porque eu não tenho publicado nos últimos dias. Siiiim! Estou na Europa, na Alemanha mais especificamente. Meu intercambio é em Portugal mas eu acabei vindo antes para passar um tempo como turista e com algumas pessoas, que já estão aqui.

Acho que hoje vocês não estão interessados em saber de livros ou filmes, correto? Acredito que a curiosidade é mais para saber como estão sendo os meus dias por aqui. Vou começar beeem do início, então.

Dia 27 de dezembro de 2012 as 8:58h da manhã, chuvosa em Curitiba, eu embarquei no voo da Gol com destino a Guarulhos, em São Paulo. Lá eu teria que esperar cerca de 7h pelo próximo voo, com destino a Lisboa, para minha sorte um amigo resolveu ir me fazer companhia no aeroporto, que lindo ele não?! O dia passou mais depressa dessa forma. As 17:10h eu embarquei no voo TAP – Portugal com destino a Lisboa. O voo foi maneiro, tinha televisão com vários filmes, séries, jogos, músicas e muitas outras viadagens. Acho que assisti uns dois filmes e uma temporada e meia de Game of Thrones – os jogos eram muito chatos.

As refeições da TAP estavam muito boas, no jantar eu comi peixe com molho vermelho, arroz, salada de azeitonas, alface, palmito, champignon e ervilhas e de sobremesa uma espécie de pavê em escala superior. Além disso, haviam uns pãezinhos com geléia e manteiga quais deixei de lado pois não aguentava mais comer. Aaah sim e toda hora as aeromoças passavam com sucos, vinhos, água, refrigerantes, e outros tipos de bebida para nos oferecer. Nunca tomei tanto suco na vida.  No café da manhã tinham frutas, geléia, sanduiche e croissant, além das bebidas para escolher.

Mas beleza, durante o voo foi tudo bem, passamos por leves turbulências mas nada para se preocupar. Cheguei no aeroporto de Lisboa e tive que andar uns 3km, sem brincadeira, desde o portão de desembarque até o controle de passaportes, cheguei lá bem de buenas, esperei na fila por uns 10 minutos e aí chegou minha vez de apresentar os documentos.

Todo mundo acha que é complicado entrar em outro país que eles vão te deportar e tudo mais, eu estava com muito medo que isso acontecesse porque eu iria passar um tempo aqui na Alemanha antes de ir para Portugal, mas cheguei num dos agentes entreguei meu passaporte, que teimosamente fica aberto na página do meu visto, o fiscal abriu na página de identificação e perguntou se eu ficava ou seguia viagem, respondi que iria para Frankfurt e depois para Karlsruhe aí o agente viu que eu tinha um visto de moradia para Portugal e perguntou se eu retornaria para o país, respondi que sim, que iria retornar para estudar em Coimbra.

Ele carimbou meu passaporte me desejou uma ótima viagem, bons estudos e que eu aproveitasse a Europa. Muito tranquilo e eu quase suando frio lá de medo. Na boa, não é um bicho de sete cabeças, é só você não vir querendo fazer coisas erradas que dá tudo certo. Eu sabia cada detalhe da minha viagem, se ele me fizesse qualquer pergunta poderia responder no ato. Não vim com o intuito de explodir o país, meus motivos seriam fáceis explicar assim como de qualquer outra pessoa que não queria sacanear todo o sistema. Não tem porque tem medo da imigração se você não pretende fazer besteira.

Mas voltando à viagem, eu cheguei em Lisboa as 5:30h da manhã do dia 28, um frio desgraçado, e embarquei para Frankfurt num voo da Lufthansa as 7:40h da manhã.  Tomei mais um café da manhã, foi a primeira vez, na vida, que comi, como café da manhã, batata frita. Só na Alemanha mesmo! Além das batatas tinha omelete e um pãozinho (sim, o café da TAP estava melhor).

No voo para Frankfurt tivemos um probleminha, tinha gelo na pista de pouso, então seria arriscado para pousarmos, portanto, iriamos ficar um tempo no aeroporto de Paris, até que tivessem limpado a pista; óbvio que ninguém queria isso; o piloto decidiu, então, sobrevoar o aeroporto de Frankfurt por alguns minutos para ver se eles conseguiam limpar a pista, conseguiram. Chegamos com cerca de 30 minutos de atraso mas foi melhor do que ficar esperando no aeroporto de Paris.

Chegando no aeroporto de Frankfurt, ninguém me fez pergunta nenhuma, na verdade ninguém me cumprimentou. Fui direto pegar minha mala e foi aí que eu fiquei muito puta com os serviços aéreos do mundo. Minha mala estava toda quebrada. Ela esta imprestável, hoje, na verdade, vou sair para comprar outra mala, caso contrário, não tenho onde levar minhas roupas para Portugal. Apesar disso, decidi que esse acontecimento não iria atrapalhar minha viagem, desci até onde eu pegaria o trem para Karlsruhe e esperei. Eu cheguei no aeroporto de Frankfurt mais ou menos 12:40h o trem sairia as 13:53h e eu cheguei em Karlsruhe as 14:56h (exatamente esses horários, contadinhos, segundo por segundo).

Chegando em Karlsruhe fui visitar um dos pontos turísticos da cidade que é um castelo bem legal e tem um mirante, vale a pena, pela vista, mas os vários degraus que tivemos que subir desanima qualquer um. Chegando em casa, eu só fui tomar banho e dormir, depois disso eu e mais uma galera que esta morando aqui fomos em uma cervejaria onde eu tomei uma caneca de cerca de 1l de suco de maçã. Estava muito bom.

No outro dia, fomos para Heidelberg, visitar mais pontos turísticos, foi uma viagem muito boa, e na volta eu comi um McDonalds por 1euro. Dia 30 estávamos em 16 brasileiros com destino a Berlin, onde passamos o ano novo. Lá fiquei hospedada na casa de uma família que me tratou muitíssimo bem (mas isso é assunto para outro post). Me diverti bastante no ano novo, estamos muito animados e nem o frio conseguiu fazer com que ficássemos mais quietos, cantamos, dançamos e pulamos no centro de Berlin. No dia 02 fiz um tour pela cidade de Berlin, interessantíssimo, o guia te leva pelos pontos turísticos e explica cada um deles. O tour é totalmente gratuito você só da uma gorjeta depois, dependendo do quão bom você achou o tour. O único problema é que aqui escurece muito cedo, aí não dá para voltar nos pontos que você achou legal, por exemplo, do Muro de Berlin eu só tenho uma foto de longe porque estava escuro demais para voltar tirar outra foto, eram cinco da tarde! Apesar disso, valeu muito a pena o tour.

Cheguei ontem de Berlin e hoje vou dar uma passada no mercado e comprar uma mala. Assim que der eu publico mais aqui no Caracol para que vocês fiquem sabendo o que eu ando fazendo por aqui. Me perdoem pela desatualização deste blog, mas tentem entender! Assim que der eu tento postar algumas fotos aqui também. Hoje esta um pouco complicado, porque estou num computador diferente e me batendo um pouco com os comandos.

Beijo a todos, desejo um ótimo ano novo e nos vemos em breve com mais histórias das minhas desventuras pela Europa!

 

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: