RSS

Portugal

25 jan

Ai, ai a Terrinha! Essa era para ser a parte mais divertida e legal da viagem, a parte em que eu, realmente, estaria por mim mesma e conseguiria ter a minha tão sonhada independência, aquela onde eu converso, faço amigos, estudo, aprendo….

Pois é, isso era o que eu tinha em mente mas não foi bem assim que aconteceu.

Primeira coisa, cheguei no aeroporto do Porto e fui comprar um chip, com internet, para meu celular… Ok, comprei e tudo, mas a internet não funcionava, de jeito nenhum, ainda no aeroporto voltei na loja e reclamei, me disseram que em algumas horas eu teria internet. Ok, resolvi sair e ir pegar o metrô para Coimbra (parênteses aqui – eu me perdi dentro do aeroporto, não conseguia achar a descida para o metrô até que um policial me ajudou) andei cerca de uma hora de metrô para chegar até as estações de comboio (lá eu me perdi de novo, mas um português muito simpático me ajudou), comprei um ticket de trêm rápido até Coimbra, demorou cerca de uma hora, chegando lá eu fui pedir informações, de onde era meu hotel, como eu chegava lá e tal e foi aí que começaram os problemas….

Nunca vi um atendente com tanta má vontade, ele não quis me explicar nem a saída da estação de comboios, dizia que não me entendia, que a rua era longe e tudo o mais; larguei mão, perguntei para umas outras pessoas e saí da estação peguei um taxi com uma senhora que foi muito simpática comigo, percebeu que eu não estava muito bem e me deu vários conselhos. Ainda assim cheguei no hotel e chorei, chorei e chorei mais um pouco depois de um tempo sentada no chão, encostada na parede resolvi tomar vergonha na cara, lavei o rosto, peguei meus documentos e fui para a Universidade. Lá foi tranquilo, documentos corretos, só algumas burocracias que tive que resolver e ainda tenho, falta muita coisa, mas que só se resolve com o tempo; sai da Universidade e já fui procurar um apartamento, um lugar para morar e tudo o mais.

Entrei em vários lugares bons mas que cheiravam a cigarro (em Portugal não tem leis proibindo fumar dentro dos locais) então não dava né, sou estudante e tudo mas ainda tenho minhas preferências. A parte de achar apartamento foi a mais stressante, tinha uns que diziam que, por eu ser brasileira, não tinham apartamento ou que era só por um período X de tempo e várias outras desculpas, perdi a conta de quantos senhorios marcavam horário para me mostrar o apartamento ou quarto e não apareciam…. foi muito complicado e comecei a me desesperar; minhas diárias no hotel estavam acabando e eu não tinha mais onde ficar.

Aqui eu preciso contar para vocês algo muito aleatório que aconteceu. Eu estava muito desesperada, então eu, andando na rua, ouvi uns sotaques brasileiros, tomei coragem e perguntei se as meninas eram brasileiras, falaram que sim, e aí começamos a conversar, eu passei o dia todo com elas, me levaram almoçar, explicaram as ruas, tudo…. nesse dia eu contei minha história e elas falaram que, se necessário, eu poderia ficar na casa delas por uns dias, até me achar (quando acabaram minhas diárias no hotel eu fiquei com elas) eu me senti muito acolhida, sério, elas foram muito legais comigo, me hospedaram e me ajudaram em tudo que precisei.

O apartamento em si consegui pela internet, num grupo de brasileiros em Coimbra, um cara entrou em contato comigo e me falou do apê, acabei alugando lá mesmo, não é caro e tem uma ótima localização.

Depois de resolver quase tudo eu acabei, por ‘n’ motivos voltando aqui para a Alemanha, na verdade estava tudo meio complicado lá em Coimbra e acabei voltando para cá e só volto para Portugal quando minhas aulas começam que é quando conseguirei começar a resolver as coisas – acho que fiz uma boa escolha.

Eu não quero que ninguém se desanime a fazer intercambio mas é bom saber que vai enfrentar vários problemas, as coisas ainda são muito desorganizadas e ninguém vai resolver as coisas por você, portanto é necessário ter muita disposição para resolver os inúmeros problemas que surgem e, cara, você vai precisar de muito apoio, sério, mantenha-se longe de quem fica ‘aah mas eu te falei’ ‘Viu só…. o que eu eu disse?’. Esse tipo de pessoa é completamente dispensável.

Enfim, não são todas as aventuras que já vivi mas é um resumão das melhores; vou me esforçar para publicar mais aqui no Blog e manter vocês mais por dentro dos acontecimentos.

Torçam por mim, pessoas, é muito importante e gratificante contar com o apoio de vocês.

Leia as partes anteriores desse post aqui e aqui.

Anúncios
 

2 Respostas para “Portugal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: