RSS

Arquivo da tag: Coimbra

Feira Medieval de Coimbra!

Olá queridos leitores deste humilde blog.

Hoje, aqui em Coimbra, ocorreu uma Feira Medieval e lógico que eu estive presente.

gavião voando para o braço do adestrador

Gavião voando para o braço do adestrador! (foto: Lucas Bispo)

A Feira, em si, começou as 09:00h com uma missa em honra a Santa Maria de Coimbra na Igreja da Sé Velha; o diferencial desta missa era um coral de Canto Gregoriano que, apesar do mal humor do padre, conseguiu deixar a cerimônia interessante. Saindo da missa todos os artistas, que estavam a caráter, se reuniram nas escadas da Igreja para que fosse dada a Inauguração da Feira. Após a leitura de um pergaminho, citando o nome do prefeito e do presidente da câmara, o padre benzeu a todos e a Feira Medieval de Coimbra estava, oficialmente, aberta.
A primeira apresentação foi uma luta entre cavalheiros que foram, previamente, saudados pelas autoridades da Feira e encorajados por uma oração, em latim, do padre (que nesse momento já era um ator). A Feira ainda contou com a perambulação de um mendigo, um senhor que guiava um burrico, venda de galinhas, gansos e coelhos (vivos), domadores de serpentes, adestrador de gaviões, saltimbancos e bandas de diferentes estilos musicais.

Não preciso nem dizer que eu adorei toda essa movimentação, as fantasias eram muito bem feitas e o ambiente foi bem arrumado para que nos sentíssemos numa época distante. Além dos atores ainda contávamos com a gastronomia típica da época, carnes sendo feitas de maneira rudimentar, pães enormes sendo divididos estranhamente, copos e jarros de barro e doces, especialmente, cheirosos. Obviamente que, por mais que quisessem imitar os hábitos medievais, os padrões de higiene se mantiveram condizentes com a nossa época o que nos tranquilizou bastante e nos incentivou a almoçar por lá mesmo!

Felizmente as coisas não estavam caras e pudemos experimentar de tudo um pouco.  Meu primeiro prato foi carne de porco assada na brasa, temperada com uma espécie de caldo de legumes e temperos colocados sobre uma broa. Eu estava com tanta fome que aquilo me pareceu um banquete dos deuses, mas acho que, mesmo que não estivesse tão esfomeada, ainda iria achar aquele “antecessor do sanduíche” gostoso.  Mas só isso ainda era muito pouco para um almoço o que fez eu e meus amigos irmos atrás de outro prato típico, achamos um que vendia sardinha assada, também na brasa, em cima de um pão… essa comida é algo bem típico aqui em Portugal e queríamos experimentar o que fez com que eu e meu amigo comêssemos é que no primeiro livro de Guerra dos Tronos o personagem do Tyrion pede, para a empregada Stark, dois peixes assados para o café da manhã e pão para acompanhar, isso foi, basicamente, o que nos fez decidir por comer o pão com sardinha hoje na Feira e estava bom mas peixe, como sabemos, não é nem um pouco fácil de comer. Eu não sei se foi meu instinto de sobrevivência ou que mas tive a ideia de comer toda a carne da parte de cima da sardinha e depois puxar a cauda que trouxe consigo toda a espinha do peixe e a cabeça… isso fez com que eu conseguisse desfrutar pacientemente da minha refeição enquanto meu amigo lutava com os espinhos da sardinha do meu lado. Depois da sardinha comemos uns biscoitos, deliciosos, de chocolate que meu amigo levou e assistimos mais algumas apresentações.

eu segurando uma cobra python

Eu segurando uma das cobras que tinha na Feira. (foto: Lucas Bispo)

Depois de um tempo resolvemos sair a cata de algo doce para comer e achamos um bolinho de massa de pão embebido em mel canela e açúcar; alguma dúvida que pegamos esse?, apenas um para dividir em dois porque ficamos com medo de ser doce demais, no fim ele não era tão doce e sentimos falta de maçã picada, como recheio. O bolinho era muito bom mas devido a pouca quantidade fomos atrás de mais doces e achamos um outro bolinho feito inteiramente com amêndoas, caaaaaara, que coisa de Deus era aquela? A massa era feita com amêndoas… aquilo eram amêndoas açucaradas e não tinha outra explicação era bom e ponto.  Compramos cerveja artesanal e vinho, ambos vinham em copos de barro… pagamos um pouco mais caro mas pudemos ficar com os copinhos!  Andamos um pouco pelo local tiramos fotos com cobras, passamos a mão nelas e enchemos o cara que a estava segurando com perguntas… acho que ele ficou feliz em responder e nós satisfeitos demais com a explicação.

Quando deu umas 17h eu já não aguentava mais ir para cima e para baixo e minhas pernas doíam demais, assistimos a última apresentação de um grupo com gaita de fole e mais uns instrumentos, achamos um último doce interessante, que vinha numa folha que nos lembrava muito Hobbits e voltamos para casa.

A Feira de hoje foi muito divertida e fiquei muito feliz por ter participado. Todos que estavam por lá se envolveram com o ambiente e encarnaram seus papéis medievais, gritavam para chamar clientes, interagiam com os atores, dançavam ao som da música e aplaudiam cada simples apresentação. Foi muito legal ver um ambiente onde todos estavam entusiasmados com aquilo que faziam… e o entusiasmo era tanto que nem a chuva nos fez desanimar. Como foi comentado essa feira foi uma ótima contribuição para o último mês de intercambio.

Eu, Lucas e Victor

Amigos de Intercâmbio carregam na mochila todas as histórias que vão virar saudade.

Anúncios
 

Tags: , , , , , ,

Coimbra, cada vez mais bonita

Oi oi oi… eu sei, faz muito tempo que não publico aqui no Blog mas dá pra entender o porque né?!

Minhas aulas finalmente começaram e, assim, tem aulas que são muito boas e aulas que são melhores ainda. Como fui eu quem escolheu as matérias seria meio idiota reclamar né, mas oook, a questão é que por melhores que as aulas sejam  a galera não cala a boca!!! Tem horas que dá vontade de mandar todo mundo a merda e fechar a matraca porque eu tô querendo prestar atenção na aula.

Agora que os trabalhos e provas já estão se aproximando o pessoal tá se controlando mais o que já ajuda bastante.

DSCF5053Quando eu estava no Brasil não via a hora de vir para a Europa, tudo novo, as promessas de coisas super baratas etc etc, Cheguei aqui e levei um balde de água fria porque nem tudo é tão barato assim e as coisas não são “Puxa vida, que baita diferença” , na verdade eu sinto muita falta do Brasil, da faculdade, por exemplo,  a UC, que é onde eu estudo, é muito boa mas a UFPR dá um show a parte, mesmo com as dificuldades. Os alunos da UFPR parecem ser mais cobrados que os da UC os laboratórios e estrutura da UFPR para o meu curso é mais completo etc. Mas uma coisa que a UC ganha de lavada é a biblioteca, esses dias fui procurar um livro sobre Liberdade de Expressão, achei muitos livros em Russo, Alemão, Inglês, Espanhol e sei lá mais quantos idiomas que tinha, outra coisa são os programas de aprender novos idiomas, na boa, eu não entendo como tem alunos do meu curso aqui que não falam, no mínimo, dois idiomas diferentes. Os caras são pagos para ir para outro país só pra aprender a falar… vééééiii se eu tivesse isso no Brasil, ir pra outro país, ter um professor meio que só meu pra aprender o idioma, cara, eu já estaria falando umas quatro línguas diferentes, eu acho.

Acho que sempre gostei do novo, de aventuras, de “não sei o que vai dar, mas vamos fazer” acho que por isso a ideia de intercâmbio sempre me atraiu tanto, principalmente pela chance de conhecer o novo de interagir com aquilo que é diferente. Eu gosto de coisas diferentes e quando isso envolve aprender, cultura etc etc a mistura só tende a ficar melhor.

Já que o assunto é esse… isso foi o que mais mexeu comigo aqui. O acesso à cultura, línguas, lazer e aprendizagem é muito amplo. Só para servir de exemplo eu paguei 3,50€ para assistir a apresentação de uma Orquestra Sinfônica, se minha matricula tivesse sido efetuada antes eu poderia frequentar cursos de idiomas totalmente gratuitos ou pagar 150€ por semestre num curso.

Além disso, é possível encontrar livros, bons, a 2€ em alguns lugares (aaah se eu pudesse levar mais malas pro Brasil). Esse acesso à cultura foi o que mais me impressionou aqui na Europa e eu desejo muito que o Brasil, um dia, alcance esse nível; em que ir ao teatro seja algo rotineiro, que as pessoas tenham acesso a atividades diversificadas e que elas aprendam com isso.

902371_232212950258215_471620038_o Esses dias, conversando com meu namorado enquanto andávamos na rua , eu falei que seria estranho voltar para o Brasil quando a hora chegasse; não por eu não gostar do Brasil (eu amo aquele país, sério, sou muito patriota) mas o que me fez pensar isso foi quando pesei a questão da segurança. Aqui eu e alguns amigos saímos as 23:00h tranquilos, não temos medo de ser abordados no meio de uma rua qualquer e ser assaltados e tal. Essa segurança te dá uma qualidade de vida muito grande, o sentir-se seguro é algo muito bom e esse é o meu maior medo no regresso a pátria; infelizmente não contamos com toda essa segurança no Brasil, o que é uma pena… mas fazer o que né, minha esperança de que o Brasil melhore continua forte.

Outra coisa que pode-se destacar aqui na Europa, pelo menos em Portugal, é que uma pessoa, realmente, consegue viver com um salário mínimo porque o aluguel aqui não é tão alto e a comida (itens básicos) tem um preço bem justo (eu achei)… aaah e mais uma coisa para nós, brasileiros, nos mordermos de inveja; o transporte público aqui custa 0,50€!!!!

Eu sei que já falei anteriormente que havia me decepcionado etc mas, devo admitir, que Coimbra esta ficando cada dia mais bonita para mim e espero, sinceramente, que melhore cada vez mais.

Estou sim sentindo muita falta do Brasil mas estou tentando aproveitar ao máximo essa experiência e fazer dela algo construtivo para mim.

 

Tags: , , , , , , , ,

Dando Notícias!

Oi povo!

Eu sei, eu sei vocês tem todo direito de reclamar que estou deixando o blog de lado, esquecendo da galera que lê e tals mas eu vou negar até a morte essa afirmação. Não estou esquecendo das pessoas que leem, o que acontece é que esta faltando umas horinhas nesses dias para poder dar mais atenção para o Caracol! Falando em caracol, vocês acreditam que aqui em Portugal a galera come caracol??? Juro! Estou pensando se devo ou não comer, acho que não vou me arriscar, na verdade. Maaaaas vamos ao que interessa, ou não, o que eu tenho feito e achado das coisas por aqui.

Nada foi como eu planejei, várias coisas não deram certo, me mudei de casa mais uma vez, agora é definitivo, eu acho, e para ajudar todo o processo começaram as aulas. – Oohw hora boa pra isso, né! (hahaha).

Para facilitar o processo de raciocínio, vamos por partes:

–       Voltei da viagem que eu tinha feito com uns amigos para as 3 capitais não UE no dia 09 – aí a coisa já complicou – deixei a minha vida feliz e pacata lá na Alemanha as 5:30h da manhã de um domingo para viajar umas 7h até a puta que o pariu Frankfurt Hahn para pegar o voo para Porto. Eu passei as sei lá quanto tempo DSCF4303de viagem cheirando a cachorro porque o Sr. Timmy Radaelli resolveu brincar com o meu cachecol uns dias antes, mas beleza, eu precisava levar o cachecol então que vá cheirando a cachorro mesmo (tenho certeza que ele fez isso por vingança por eu ter esquecido o horário da ração dele um dia enquanto o Lucas estava na aula, nos considero quitados) maaaas beleza, cheguei lá no fim do mundo fiz o check-in e tals aí quando fui entrar no avião os caras da companhia aérea não conferiram as bagagens de mão corretamente, consequência não havia espaço para todo mundo por as malas na cabine (êêêê lasquera) minha mochila de sei lá quantos quilos e sei lá que tamanho teve que viajar no meio das minhas pernas mas susse.  Cheguei em Porto, morrendo de fome, e com um único chocolate de umas 50g no bolso (só tem tu, vai tu mesmo) saí rápido do aeroporto para pegar o trem até uma estação X, me perdi, GPS indicou a direção para UMA rodoviária, eu tinha que ir na outra rodoviária. Estava chovendo e eu estava muito longe do destino, peguei um taxi e cheguei lá as 19:05h, eu tinha perdido o ônibus, o outro só saia as 20:30h ok ok, eu toca encasacada fiquei lá esperando até que chega uma menina falando português do Brasil e comecei a conversar com ela (feliz acontecimento, hoje eu divido casa com ela).

Chegamos em Coimbra lá por 21:30h fui pra casa, tomei banho, e dormir até tarde no outro dia que era pra ser o primeiro dia de aula (tenho a sorte de não ter aulas na segunda, então…)

Na verdade, eu não fui na primeira semana de aula, eu tinha que falar com a coordenadora então acabei indo como turista só pra saber como era. Ainda bem que fiz isso, desisti de umas duas matérias por não ter me dado bem com o professor e por conteúdos que eu já tinha visto.

–       Reunião com a coordenadora na quinta feira – ela se atrasou meia hora – o que foi bom pois conheci um dos meus atuais amigos na fila de espera, as vezes as coisas acontecem por uma razão. Minha coordenadora é um amorzinho, sério, adorei ela, muito atenciosa, simpática e beeem cabeça aberta conosco, intercambistas (leia-se perdidos). Depois dessa reunião é que ficou decidido o que eu faria de matérias, ela me explicou algumas das matérias que eu iria fazer etc, foi bem produtivo.

DSCF5022Ainda nessa semana eu conheci a outra menina com quem estou dividindo casa, eu já tinha uma casa, tecnicamente, mas nós decidimos que seria legal se achássemos algo para morar nós três etc. Encontramos, está sendo bem melhor do que o lugar que eu estava anteriormente, acho que mais porque aqui eu tenho companhia do que qualquer outra coisa, mas está sendo legal.
Depois da reunião com a coordenadora foi que eu comecei a frequentar as aulas, definitivamente. Algumas são legais outras nem tanto mas esta valendo a pena.

–       Agora eu já começo a ter coisas da faculdade para fazer e tudo o mais e, para ajudar, ainda tenho trabalhos da faculdade do Brasil para fazer devido a greve nas Universidades Federais; acho que dou conta de tudo mas é algo que tenho que resolver logo.

Algumas aulas aqui são muito diferentes das Universidade Brasileiras e algumas são muito iguais, na minha opinião de peixe fora d’água acho que alguns professores daqui dão muita liberdade para os alunos mas isso é só a minha opinião!

–       Uma semana depois das minhas aulas começarem meu namorado veio passar um tempo aqui em Coimbra (lol)… tadinho, teve que me ajudar a fazer a mudança para a casa nova – nós sofremos aquele dia mas valeu a pena, o quarto é mais espaçoso tem varanda para o Timmy etc etc – assim que ele chegou já marquei com uns amigos para irmos jantar numa churrascaria aqui – ele não comia carne da gado há alguns meses- gente, na boa a comida do prato dele devia estar muito mais gostosa que a minha pois comia com uma vontade. Foi legal.

Durante o tempo que ele ficou aqui começamos a assistir, nas horas de folga (leia-se a noite) uma série chamada Breaking Bad e, véi, é muito boa! Não vejo a hora do Lucas voltar para terminarmos a série.

–  Agora já começo a pesar as coisas aqui de outra maneira, analisar melhor o que as pessoas fazem, DSCF5044perceber os costumes o que é normal aqui, ou não… acho que estou aprendendo a me virar bem aqui por Coimbra.

Como eu estava na Alemanha, antes de vir para cá, posso arriscar algumas comparações.

No pouco tempo que estive aqui deu pra notar que viver em Portugal é muito mais barato que viver em outro local da Europa, o aluguel aqui não e tão caro e comer aqui também é muito barato, você não gasta tanto no mercado e nem indo em restaurantes, claro, tem os lugares caros, mas é possível você comer bem por pouco, coisa que é bem complicado de acontecer nos outros lugares que tive a oportunidade de conhecer.

Apesar disso há várias coisas que são muito baratas em outros lugares e que aqui é um absurdo… mas isso acontece em todo lugar. Farão três meses que estou aqui na Europa, e, por enquanto, já teve vários altos e baixos; estou certa que essa experiência vai render boas coisas para mim mas, ainda assim, eu sinto uma pontinha de arrependimento de algumas coisas (assunto para outra hora)  e estou tentando ignorar ou mudar isso porém, só com o tempo. Buscarei aproveitar o máximo tudo o que tem para aproveitar, viagens, estudos, mostras etc etc então se alguém tiver alguma dica aí… esse é o momento.

 

Tags: , , , , , , ,

Cheguei!

Olá homelesses!

Quanta saudade eu senti de vocês, mas acho que vocês conseguem entender o porque eu não tenho publicado nos últimos dias. Siiiim! Estou na Europa, na Alemanha mais especificamente. Meu intercambio é em Portugal mas eu acabei vindo antes para passar um tempo como turista e com algumas pessoas, que já estão aqui.

Acho que hoje vocês não estão interessados em saber de livros ou filmes, correto? Acredito que a curiosidade é mais para saber como estão sendo os meus dias por aqui. Vou começar beeem do início, então.

Dia 27 de dezembro de 2012 as 8:58h da manhã, chuvosa em Curitiba, eu embarquei no voo da Gol com destino a Guarulhos, em São Paulo. Lá eu teria que esperar cerca de 7h pelo próximo voo, com destino a Lisboa, para minha sorte um amigo resolveu ir me fazer companhia no aeroporto, que lindo ele não?! O dia passou mais depressa dessa forma. As 17:10h eu embarquei no voo TAP – Portugal com destino a Lisboa. O voo foi maneiro, tinha televisão com vários filmes, séries, jogos, músicas e muitas outras viadagens. Acho que assisti uns dois filmes e uma temporada e meia de Game of Thrones – os jogos eram muito chatos.

As refeições da TAP estavam muito boas, no jantar eu comi peixe com molho vermelho, arroz, salada de azeitonas, alface, palmito, champignon e ervilhas e de sobremesa uma espécie de pavê em escala superior. Além disso, haviam uns pãezinhos com geléia e manteiga quais deixei de lado pois não aguentava mais comer. Aaah sim e toda hora as aeromoças passavam com sucos, vinhos, água, refrigerantes, e outros tipos de bebida para nos oferecer. Nunca tomei tanto suco na vida.  No café da manhã tinham frutas, geléia, sanduiche e croissant, além das bebidas para escolher.

Mas beleza, durante o voo foi tudo bem, passamos por leves turbulências mas nada para se preocupar. Cheguei no aeroporto de Lisboa e tive que andar uns 3km, sem brincadeira, desde o portão de desembarque até o controle de passaportes, cheguei lá bem de buenas, esperei na fila por uns 10 minutos e aí chegou minha vez de apresentar os documentos.

Todo mundo acha que é complicado entrar em outro país que eles vão te deportar e tudo mais, eu estava com muito medo que isso acontecesse porque eu iria passar um tempo aqui na Alemanha antes de ir para Portugal, mas cheguei num dos agentes entreguei meu passaporte, que teimosamente fica aberto na página do meu visto, o fiscal abriu na página de identificação e perguntou se eu ficava ou seguia viagem, respondi que iria para Frankfurt e depois para Karlsruhe aí o agente viu que eu tinha um visto de moradia para Portugal e perguntou se eu retornaria para o país, respondi que sim, que iria retornar para estudar em Coimbra.

Ele carimbou meu passaporte me desejou uma ótima viagem, bons estudos e que eu aproveitasse a Europa. Muito tranquilo e eu quase suando frio lá de medo. Na boa, não é um bicho de sete cabeças, é só você não vir querendo fazer coisas erradas que dá tudo certo. Eu sabia cada detalhe da minha viagem, se ele me fizesse qualquer pergunta poderia responder no ato. Não vim com o intuito de explodir o país, meus motivos seriam fáceis explicar assim como de qualquer outra pessoa que não queria sacanear todo o sistema. Não tem porque tem medo da imigração se você não pretende fazer besteira.

Mas voltando à viagem, eu cheguei em Lisboa as 5:30h da manhã do dia 28, um frio desgraçado, e embarquei para Frankfurt num voo da Lufthansa as 7:40h da manhã.  Tomei mais um café da manhã, foi a primeira vez, na vida, que comi, como café da manhã, batata frita. Só na Alemanha mesmo! Além das batatas tinha omelete e um pãozinho (sim, o café da TAP estava melhor).

No voo para Frankfurt tivemos um probleminha, tinha gelo na pista de pouso, então seria arriscado para pousarmos, portanto, iriamos ficar um tempo no aeroporto de Paris, até que tivessem limpado a pista; óbvio que ninguém queria isso; o piloto decidiu, então, sobrevoar o aeroporto de Frankfurt por alguns minutos para ver se eles conseguiam limpar a pista, conseguiram. Chegamos com cerca de 30 minutos de atraso mas foi melhor do que ficar esperando no aeroporto de Paris.

Chegando no aeroporto de Frankfurt, ninguém me fez pergunta nenhuma, na verdade ninguém me cumprimentou. Fui direto pegar minha mala e foi aí que eu fiquei muito puta com os serviços aéreos do mundo. Minha mala estava toda quebrada. Ela esta imprestável, hoje, na verdade, vou sair para comprar outra mala, caso contrário, não tenho onde levar minhas roupas para Portugal. Apesar disso, decidi que esse acontecimento não iria atrapalhar minha viagem, desci até onde eu pegaria o trem para Karlsruhe e esperei. Eu cheguei no aeroporto de Frankfurt mais ou menos 12:40h o trem sairia as 13:53h e eu cheguei em Karlsruhe as 14:56h (exatamente esses horários, contadinhos, segundo por segundo).

Chegando em Karlsruhe fui visitar um dos pontos turísticos da cidade que é um castelo bem legal e tem um mirante, vale a pena, pela vista, mas os vários degraus que tivemos que subir desanima qualquer um. Chegando em casa, eu só fui tomar banho e dormir, depois disso eu e mais uma galera que esta morando aqui fomos em uma cervejaria onde eu tomei uma caneca de cerca de 1l de suco de maçã. Estava muito bom.

No outro dia, fomos para Heidelberg, visitar mais pontos turísticos, foi uma viagem muito boa, e na volta eu comi um McDonalds por 1euro. Dia 30 estávamos em 16 brasileiros com destino a Berlin, onde passamos o ano novo. Lá fiquei hospedada na casa de uma família que me tratou muitíssimo bem (mas isso é assunto para outro post). Me diverti bastante no ano novo, estamos muito animados e nem o frio conseguiu fazer com que ficássemos mais quietos, cantamos, dançamos e pulamos no centro de Berlin. No dia 02 fiz um tour pela cidade de Berlin, interessantíssimo, o guia te leva pelos pontos turísticos e explica cada um deles. O tour é totalmente gratuito você só da uma gorjeta depois, dependendo do quão bom você achou o tour. O único problema é que aqui escurece muito cedo, aí não dá para voltar nos pontos que você achou legal, por exemplo, do Muro de Berlin eu só tenho uma foto de longe porque estava escuro demais para voltar tirar outra foto, eram cinco da tarde! Apesar disso, valeu muito a pena o tour.

Cheguei ontem de Berlin e hoje vou dar uma passada no mercado e comprar uma mala. Assim que der eu publico mais aqui no Caracol para que vocês fiquem sabendo o que eu ando fazendo por aqui. Me perdoem pela desatualização deste blog, mas tentem entender! Assim que der eu tento postar algumas fotos aqui também. Hoje esta um pouco complicado, porque estou num computador diferente e me batendo um pouco com os comandos.

Beijo a todos, desejo um ótimo ano novo e nos vemos em breve com mais histórias das minhas desventuras pela Europa!

 

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Uma odisséia, ora pois!

Eu acredito na sorte, e tenho constatado que quanto mais estudo mais sorte tenho”

adapt. Thomas Jefferson

Olá seus lindos!

Antes de começar, para que vocês não pensem que sou esnobe gostaria de explicar que Odisséia é definida pelo dicionário Aurélio como uma ‘viagem cheia de aventuras e peripécias.Série de acontecimentos anormais e variados’. Pronto, agora podemos começar.

Essa semana inteira foi uma correria e tanto, mas estou muuuuito feliz. Isso porque essa semana eu recebi a notícia definitiva: Vou fazer intercambio, pela UFPR, ano que vem!

Estou organizando os últimos detalhes da viagem mas já é certo. Oooh ooh mas não é tão fácil assim né? Realmente não foi nada fácil e agora eu vou contar para vocês, todos os detalhes de, como eu consegui isso.

Em 2011 eu entrei na UFPR e no primeiro dia de aula minha coordenadora apresentou o curso e comentou sobre alguns programas da UFPR, entre eles ela citou o Mobilidade Acadêmica. O nome me chamou a atenção e fui ver o que que era essa coisa. Descobri que era um programa de intercambio da Universidade e que se você atingisse uma nota mínima em cada coisa você poderia concorrer a uma bolsa de estudos em uma universidade parceira. Não é nem preciso eu dizer que me interessei e passei a me empenhar em conseguir isso. Os critérios eram o currículo e desempenho acadêmico e uma entrevista pessoal.

Assim eu comecei a estudar, estudar e estudar mais um pouco para que minhas notas nunca ficassem abaixo dos demais alunos do meu setor, que eram meus concorrentes em potencial, fui em todas as palestras possíveis, participei de feira de profissões, oficinas… tudo que eu podia fazer para contar pontos no currículo.

A primeira vez que me inscrevi para esse programa foi no final de 2011, com saída prevista para 2012/2, como é óbvio eu não fui e essa foi a minha primeira quebrada, feia, de cara! Quando meu nome não estava na lista dos selecionados. Sobrevivi e continuei estudando, ainda mais, porque eu estava decidida a tentar de novo.

A primeira vez eu me inscrevi para a Universidade Simon Fraser, no Canadá, tinha feito os testes de suficiência em língua inglesa…. estava tudo ok para a viagem, só que não.

Lá pelo mês de Maio abriram as inscrições para o Mobilidade Acadêmica 2013/1 eu fui tentar me inscrever mas sempre dava erro. Desesperada eu liguei na ARI (Assessoria de Relações Internacionais) que é o orgão responsável pelos intercâmbios e perguntei porque a minha inscrição não estava dando certo. O moço que me atendeu me disse o seguinte:

– Não dá certo porque você esta com saída prevista para 2012/2

– Não, mas deve ser um engano, eu não fui selecionada. Não tenho saída prevista.

– Tem sim! Você esta como apta na Universidade de Simon Fraser, no Canadá. Desistiu do processo?

– Como assim apta? Eu nem sabia disso. Vocês mandaram algum e-mail?

– Sim, mandamos, mas alguns e-mails voltaram, talvez o seu fosse um deles.

– E vocês não tentaram entrar em contato comigo de outra maneira?

– Não.

– Entendi. Mas dá tempo ainda de eu levar a papelada aí?

– Acho que o prazo já encerrou.

– Entendo, tudo bem então, cancela essa saída pra eu poder me inscrever na 2013/1, por favor?

– Aah claro, só um minuto…… Prontinho Thaisa. Já pode se inscrever.

– Ok, obrigada.

Éééé José… essa foi a minha segunda quebrada, feia, de cara (espatifei-me contra o asfalto). Você, querido leitor, deve estar pensando que eu fiquei puta da vida, chinguei todo mundo e tal mas, na real, não fiquei. Claro que eu adoraria ter ido para o Canadá, eu já estaria por lá (e no natal meus pais poderiam dizer: nossa família toda reunida, menos Thaisa, que esta no Canadá haha) porém… não deu. Não tinha nada que eu pudesse fazer, não foi uma falha minha, o jeito era erguer a cabeça e bola pra frente; eu ficar chingando os caras não ia adiantar nada. Na verdade, quando meu amigo me perguntou se eu tava puta eu disse que não, que surpreendentemente eu estava feliz pois, no principio (Deus criou o céu e a terra) eu achava que ninguém me queria, aí, do nada, eu descubro que eles queriam que eu fosse mas por uma falha eu não pude ir.

Ok, colei os caquinhos da cara e me inscrevi novamente. Tentei a universidade Canadense de novo…. no meio do processo fiquei com medo que o ocorrido se repetisse e, mais uma vez, eu perdesse a oportunidade. Pedi para minha coordenadora indeferir meu pedido, para que eu passasse a concorrer com a outra universidade da minha lista.

Nós aqui da federal, para quem não sabe, podemos escolher três possíveis universidades de destino as minhas escolhas foram: Universidade Simon Fraser, Universidade de Aveiro e Universidade de Coimbra.

Pensei muito para tomar a decisão de indeferir a universidade. Analisei todos os planos de estudo, história da universidade, cidades cedes, planos para intercambistas, comentários sobre as instituições,tudo; e a melhor opção foi a Universidade de Coimbra, uma das mais antigas da Europa e considerada a OXFORD da Língua Portuguesa.

Refiz todo o processo de Mobilidade Acadêmica, fiz inscrição, elaborei plano de estudos, carta de motivação, documentos comprobatórios, currículo, análise do IRA (Índice de Rendimento Acadêmico) e a pior parte do processo de seleção: a entrevista pessoal.

A entrevista começaria as 17:30h eu fui a primeira a chegar e de repente começou a entrar uma galera naquele hall de espera… até que eu perguntei: todos vocês são pra entrevista de Mobilidade? Todos balançaram a cabeça afirmativamente. Tinha umas doze pessoas… disputando UMA bolsa; no meio dessa galera tinha um japonês e nessa hora eu pensei: Fudeu! Não vou mais. Sério, eu fiquei morrendo de medo.

Todos estavam com muita pressa porque tinham compromissos após a entrevista então eu deixei que eles passassem na minha frente.

Era a minha segunda tentativa, eu conhecia os entrevistadores e eles lembravam de mim fizeram perguntas bem pontuais. Um dos professores viu que numa das universidades eu pretendia estudar língua e cultura alemã… ele, bem filho da mãe, me fez uma pergunta em alemão. Suei frio, respirei fundo e falei: Entschuldigung Lehrer, ich bin noch studiere die Sprache! Não sei, exatamente o que saiu mas o que eu queria dizer era ”Desculpe professor, eu ainda estou estudando a língua”; deve ter saido algo parecido porque ele sorriu e soltou um ‘Sehr gut’.

Depois da entrevista é a pior parte, sempre, porque é a parte da espera. Ainda mais com a greve das universidades federais. A entrevista foi lá por maio mas eu fiquei sabendo que tinha sido selecionada a cerca de um mês atrás, eu tive um dia pra juntar toda a documentação e levar até a ARI. Consegui hehe.

Lembrando, agora, foi engraçado porque eu ligava quase todos os dias lá na ARI atrás de informações, enchi tanto o saco que sempre que eu ligava e falava que era pra pedir informação sobre a mobilidade eles já falavam: Aaah é a Thaisa?

Minha Carta de Aceite da Universidade de Coimbra

Hahaha fiquei super conhecida por lá.

Depois disso ainda teve uma parte crítica. A espera do aceite da universidade de destino. Claro porque se eles resolvem não te aceitar, você não vai e pronto, acabou.

Meus documentos chegaram em Coimbra no dia 23 de outubro e a notícia de que eu tinha sido aceita chegou, por e-mail, no dia 05 de novembro, meus documentos de aceitação chegaram, por e-mail, no dia 08 de novembro e as cartas originais devem estar aqui em casa dentro de uma ou duas semanas (dependendo do tempo do correio).

Vocês devem imaginar o quão feliz eu estou né. Eu estudei, feito uma louca, por dois anos inteiros visando esse único objetivo maior, consegui ter a maior nota em tudo entre todos os meus concorrentes e consegui a bolsa.

Não contei nem metade das quebradas de cara que eu tive durante o processo. Matérias que não batiam, ementas trocadas, professor sacaneando com nota e eu tendo que correr atrás pra recuperar, um monte de outras coisas pequenas que me deixavam extremamente stressada, preocupada e com vontade de desistir de tudo. Mas, ainda bem que fiquei só na vontade e não desisti de nada. Agora, estou bem orgulhosa de mim mesma por ter passado por cima de todos os obstáculos que surgiram.

Perdi as contas de quantas vezes me convidavam pra sair e eu dizia não porque tinha que terminar um livro ou porque tinha que copiar a matéria atrasada, de quantas canetas eu gastei e quantas vezes ficava na biblioteca da faculdade estudando com uma amiga até as 22:00h com minha mãe me ligando desesperada mandando eu ir pra casa. Já nem ligo pros sapos que tive que engolir por causa de algumas pessoas que nunca podiam ajudar e mais do que tudo já toquei um foda-se para todos aqueles que duvidaram que eu iria conseguir.

Lembro que minha amiga me perguntou um dia por que eu queria tanto fazer um intercambio e eu respondi que era porquê, principalmente na minha cidade, tinha muita gente que achava que eu jamais conseguiria (tapa de luva de pelica, rules).

Espero ter deixado mais ou menos claro, para vocês, alguns detalhes da minha viagem e espero que vocês estajam felizes por mim, continuem torcendo e, assim que eu tiver mais novidades ou ideias, vou postando por aqui.

P.s.: Prevejo pessoas indignadas porque eu só contei do intercambio quando saiu o resultado da bolsa de 2013/1, mas queria deixar bem claro que é porque eu tenho uma filosofia de vida que é a seguinte:

”Só envolva as pessoas, que você gosta, nos seus planos quando você tem certeza que elas não irão se decepcionar ou só se for extremamente necessário”.

Talvez essa minha filosofia seja errada e egoísta, peço desculpas, mas no momento ela me parece correta e foi por isso que eu mantive o processo meio que em segredo até eu ter certeza que ninguém ia se decepcionar!

Desculpem-me mas me pareceu a coisa certa a fazer! Tentem entender os meus motivos =D

 

Tags: , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: