RSS

Arquivo da tag: TCC

Explicações

Há algum tempo que eu estou tentando ter alguma ideia para um novo texto para o Caracol. Confesso que eu já tive algumas mas não deu tempo de escrever e as ideias acabaram se perdendo com o passar dos dias.
Pensando melhor sobre tudo eu acho que é mais interessante eu escrever o porquê da falta dos textos e das publicações. Não desisti do blog e nem pretendo mas algumas outras coisas tem tomado mais o meu tempo e impossibilitando a atualização dessa casa aqui (hehe).

Esse ano eu estou terminando minha faculdade de Comunicação Institucional pela UFPR, logo, isso significa TCC e estou correndo com isso para deixar tudo em ordem e terminar o mais rápido possível. Além disso eu tomei a decisão de querer fazer outra faculdade por não ter muita certeza sobre a primeira escolha e, como sabemos, fazer outra faculdade requer passar no vestibular, que requer estudo, que requer dedicação, que, para mim, me colocou numa sala de cursinho (6 dias por semana).
Agora vocês já tem uma noção maior do porque o Blog anda tão desatualizado. TCC, cursinho e mais os cursos que eu já fazia anteriormente tem me tomado um tempo absurdo que não está havendo uma brecha digna para pensar, escrever e publicar aqui no Caracol.
Sinto muita falta de escrever para o Caracol, é uma das coisas que me deixa feliz (pelo que pude perceber) e pretendo postar coisas nele logo que possível e espero que vocês continuem acompanhando a medida que for possível.
Agradeço a atenção e peço, como já fiz anteriormente, que torçam por mim, nesses novos caminhos da vida =D

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em maio 7, 2014 em Uncategorized, Vida Besta

 

Tags: , , , ,

Animação Total! /o/ \o/ \o\

Saudações leitores(as) lindos e cheirosos!

Vou dividir, com vocês, a minha alegria nesse dia.

O motivo de eu estar feliz é porque, ontem, consegui fazer algumas coisas que eu estava planejando a meses e outras que eu estava muito ansiosa para dar inicio e todas foram beeem legais.

Paiê! =)

A única coisa que saiu um pouco do ‘mundo-cor-de-rosa‘ foi o agendamento na PF, que ficou lá pra meados do mês que vem; porém como dizia meu professor teórico da auto-escola o mais difícil eu já fiz, que é começar. Como já esta agendado, me obrigo a ir, uma vez que este detalhe ficou fora dos padrões não darei mais informações sobre ele, pra não estragar a magia.

Ontem eu voltei a frequentar a academia (\o/), queria agradecer ao meu patrocinador (‘papi’) Rubi (lindo) Maia.

Eu estou ciente que tem muita gente que odeia academia mas eu não faço parte desse grupo. Gosto muito de sair toda dolorida depois de um treino hardcore sabendo que ‘amanhã tem mais’. Claro que ontem eu não tive nem metade do que poderia se chamar de treino hardcore, como os instrutores ainda não me conhecem e nem sabem qual a minha capacidade física o treino foi bem light; eles só me deixaram mais a vontade na esteira, resultado:

Km percorridos

Metros escalados

Velocidade

Inclinação

Batimentos

Tempo

2,3

11,4

6,2

7

189

20’19”

Achei, as esteiras, superdivertidas, elas tem conector para iPhone e apoio para livro, ou o que mais você quiser colocar lá. É claro que eu fiquei assistindo o jogo de volei (Brasil X EUA), pois não levei nem uma revistinha que fosse. Enquanto eu suava em bicas na esteira uma mulher começa a conversar comigo, falando das filhas dela e, pasmem, me indicando uma confeitaria (ela só deixou claro que não recomenda a coxinha do lugar porque é meio seca). Aaah eu só não ri por educação, acho que indicar confeitaria numa academia é meio excêntrico, mas se alguém se interessar o site é esse aqui (#ficaadica, pai).

Minha camiseta!

Voltando ao assunto… durante o treino eu fiz uns exercícios chatos e outros legais, os que mais gosto, sempre foram, os exercícios para pernas e glúteos, são os mais confortáveis e menos chatos de se fazer. O pior exercício, com certeza, é de ficar erguendo aqueles pesinhos coloridos, e o pior com tantas cores bonitas o instrutor me passa um peso rosa choque (WTF?). Eu estava com uma camiseta azul do Guia do Mochileiro das Galáxias, escrito 42, Don’t Panic e com uma imagem do Marvin; me recuso a acreditar que ele não entendeu a mensagem por trás das minhas vestes!

O que mais me irrita na academia são as amizades e o nível cultural. Não acredito que academia seja um ambiente propício para se fazer grandes amigos. Acompanhe meu raciocínio, você esta lá todo suado, fazendo uma puta força pra erguer aqueles pesos ou numa posição meio esquisita, devido os exercícios, quando chega alguém conversar com você sobre, sei lá, filmes… gente, não rola, pelo menos não pra mim, eu não sou uma grande apreciadora do cheiro de suor, pra ficar sentindo o de outrem, e aprecio muito menos o contato físico com pessoas suadas, isso significa que o popular cumprimento com beijinho no rosto é terminantemente PROIBIDO em academias, por favor não insistam, e por esses motivos eu, simplesmente, faço meus exercícios e vou embora, sem delongas. O outro tópico, a cultura. Já me falaram que eu sou um pouco preconceituosa por achar que os donos de academia tem um senso cultural e gosto duvidosos, mas até agora nenhum dos que eu conheci me fez mudar de opinião. Aquelas músicas eletrônicas mega irritantes, se for pra colocar aquilo, acho que seria melhor o silêncio e a academia dar, de brinde, para os alunos, que querem música, um fone de ouvido e o problema estaria resolvido, mas nããããooo eles preferem colocar aquele lixo sonoro porque dizem que incentiva a malhar. Incentiva a malhar o caramba, coloca um AC/DC lá, quero ver quem vai se sentir desincentivado. Outra coisa que achei um absurdo, os caras compram uma esteira cheia de frescuras, inclusive com um painel preparado para apoiar revistas e livros e eles não disponibilizam nem um exemplar de Women’s Health que seja, pra que comprar uma esteira com esse diferencial, então?.

Mas tá susse, não vou me prender a essas pequenezas. Vou resolver isso com um fone de ouvido e um livro de bolso.

Saindo da academia, um cara, que estava chegando, me cumprimentou. Ele fazia o tipo moreno, alto, bonito e sensual (haha ele parou no alto, nada tinha de bonito e sensual) o fato é que achei estranho ele me cumprimentar: não o conheço, mas começo a suspeitar que ele é meu vizinho; isso explicaria a simpatia. Mas como disse anteriormente, academia não é o melhor lugar para se fazer amigos. Então, ele não somou nenhum ponto.

Entretanto, não foi só isso que deu certo no dia de ontem.

Não, não é o meu… Mas ficou quase igual! =)

Quem me conhece sabe que eu não sei cozinhar, mas ultimamente eu venho me aventurando nesse campo minado, e ontem eu escapei de uma espécie de mina terrestre antipessoal quando percebi que acertei o bolo de brigadeiro, sem a ajuda de ninguém, e o mais legal, ele ficou gostoso e bonito (coisa rara, hoje em dia). Fiquei bem contente por meu bolo (que, fique claro, não é nega maluca) ter dado certo, isso significa que eu não sou uma completa negação para o universo gastronômico.

Quando tirei aquela coisa, toda cheirosa e morena do forno bateu um orgulho, no fundo do peito e, quando eu consegui (morram de inveja) desenformar o bolo eu só pensei: fuck yeah! (dig din dig din eu sou sinistra).

Aaah, a beleza das pequenas realizações!
Essa experiencia pode servir como um motivacional, cuja frase de impacto seria: “Se ela consegue… você também pode!” ou, para os menos românticos, “pow cara, até ela faz melhor que isso”.

Manhê!

E, por fim, o mais legal do dia de ontem: Comecei minhas aulas de música!  (patrocínio: “mamis” Clarinda Antonelli Maia – Danke!)

Ooottii o professor é um querido, me explicou tudo com tanta paciência e riu da minha necessidade de usar os dedos para separar as notas musicais na cabeça. Ele tocou umas músicas muito ‘gatenhas’ como o tema de Piratas do Caribe, Stairway to Heaven, a música do Poderoso Chefão etc.

Além disso a conversa com ele foi muito divertida, sobre o porque eu me interessei e pegou um pouquinho no meu pé devido a minha primeira opção não ser o instrumento que estou aprendendo, mas me garantiu que eu não vou querer trocar, nunca mais (não duvido).

Incrível como numa conversa de menos de uma hora você pode criar tantos tópicos diferentes; é claro que tudo girou em torno de música mas passou desde que tipo de música que eu gosto até minha ideia de TCC, que, agora, eu realmente decidi.

A conversa de ontem foi de suma importância para essa decisão. Já apresentei a ideia para três pessoas que eu admiro. Minha professora e coordenadora, que, provavelmente também será quem vai orientar meu TCC; um amigo que eu gosto e estimo muito e agora o professor de música. Todos os três gostaram e acharam uma ótima ideia; sendo que dois deles garantiram que posso desenvolver muito em cima dela e colher grandes frutos. Claro que dará muito trabalho maaaas eu estou  animada e super disposta a desenvolver esse projeto.

Infelizmente não posso contar o que é, preciso antes planejar e definir tudo certinho, no entanto, a parte mais difícil que é achar uma coisa que eu goste, que encaixe no meu curso e que seja importante para a sociedade já foi e, se essas três pessoas, garantiram que a ideia tem futuro… bom não tenho dúvidas que posso mergulhar de cabeça e olhos vendados.
Minhas aulas de música ocorrerão toda quinta-feira e eu estou ansiosa pra aprender a tocar alguma coisa logo, nem que seja “Brilha, brilha estrelinha”.

Torçam por mim, nessas novas empreitadas.
Beijo queridos homelesses!

 
1 comentário

Publicado por em agosto 3, 2012 em Uncategorized, Vida Besta

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: